sexta-feira, 13 de fevereiro de 2004

Na Praia

Primeiramente, gostaria de fazer uma observação relevante: o blogger nao esta aceitando acentos hoje. Obrigada



Faz um bom tempo que eu nao tomo coragem para escrever aqui...tenho algumas historias comicas, mas por hora vou colocar somente uma que acredito que rendera pegacao no pe por algumas semanas...



Pois bem. Aconteceu em Janeiro enquanto eu estava de ferias com a minha familia em Ubatuba.



Em um belo dia de sol, o que pode-se considerar um verdadeiro elefante branco em Ubatuba, resolvemos nos juntar aos outros Albuquerques na praia de Maranduba (a descricao desse lugar eh uma historia a parte).

Aha. Depois de um tempo sentada ao sol, com meus trajes de banho que se resumem a uma calca capri caqui e uma blusinha branca de alca e meus apetrechos de praia mais conhecidos como oculos de perua e Harry Potter e a Ordem de Phoenix, me da aquela vontade incontrolavel, comum a todos os mortais condenados a viver nessa dimensao galatica(ta!), de ir ao toilet (le-se banheiro).



E agora? O que fazer? A quem recorrer?



Meu irmao. Esta sempre nessa praia, conhece tudo e meu pai deixou bem claro que pegar o carro e ir pra casa estava fora de questao.



"Use aquele banheiro ali!Paga so 1 real. Eh limpo..." disse ele.



Droga. Nao tinha outro jeito. A solucao foi encaminhar-me para o banheiro, deixando meu amor (Harry Potter e a Ordem de Phoenix) aos cuidados de mamae.

Passei na catraca do banheiro, coloquei o meu oculos de tiara e fiquei esperando na fila a minha vez. Exatamente. Tinha fila.

Finalmente (um dos mais demorados da minha vida) alguem (le-se "puto") resolveu deixar uma cabine para que a minha ilustre pessoa podesse desfruta-la. O banheiro era limpo, tinha papel higienico e somente um incoveniente : a porta.



A porta : pode ser definida literalmente como um box de banheiro de plastico fosco ( e nao "tosco") e bege. E como eu sou a pessoa mais sortuda do mundo, a minha trava estava quebrada. Como somos todos civilizados certamente ninguem se atreveria a abrir a porta da cabine.



Entao la estou eu dentro da cabine, pronta pra reinar. Esqueci que estava com o oculos de tiara prendendo meus cabelos e, no primeiro movimento brusco, la se foi ele dentro da privada. Argh!!!



Uma raiva imensurvel cobriu a minha face. O meu par de oculos, caro, comprado no melhor stand do Shopping 25 da rua Abdo Schain paralela a 25 de Março, dentro de uma privada???? PRIVADA?????



Ai!! E agora? O que fazer? A quem recorrer?



Bom, nao era de todo perdido. Uma das astes tinhas ficado pra fora da agua (aaaaaiiiiiiii), e foi possivel um resgate. Mas pulemos essa parte, porque o pior ainda estava pra vir...



No segundo seguinte ao meu acidente, entra uma mae com uma crianca no banheiro. A crianca, nao lembro se era menino ou menina, simplesmente sente uma atracao incontrolavel pela minha cabine. E, como criancas raramente tem escrupulos, ela resolveu tentar abrir a minha cabine, com uma forca sobrenatural a ela conferida.



E eu, vulneravel do jeito que estava, puxava a trava pra um lado, enquanto a crianca freneticamente puxava pro outro e gritava "mainhe?!!!!! Num queh abri!!" , e a mae do outro lado "Ahhh, amor da mamae!!Deve ter gente aih!! Vamos esperar outra cabine!", e a mula juvenil continuava "Mais eu quero essa daqui!!! Essa daqui!!!!Abreeeee!!!!.



Pois entao. O que fazer?? A vontade que eu tinha era de gritar "Aiiii!!!! Cai fora!!", como sempre faco, mas era uma crianca!!!! E eu estava num banheiro!! E a mae dela la dentro!!!



A briga continuou ate que a crianca se encheu e resolveu ir amolar outra pessoa. Ou seja, uns 15 minutos. Que mais pareceram quinze dias.



Mas a situacao deve ter sido tao ridicula pra quem estava de fora olhando a crianca fazendo aquela forca e escandalo pra abrir a porta, e a porta abrindo 1cm e fechando novamente, que eu preferi esperar mais uns minutos ate que a populacao do banheiro se renovasse para eu sair fingindo que nada tinha acontecido.

Feito isso, volto para a mesa dos meus pais e parentes, e ainda tenho que ouvir da mamae :



"Nao entendo porque vc demora tanto no banheiro."



Ai minha enxaqueca.

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2004

Blog Intelectual

Pasmem com o que foi achado pela minha pessoa em um site de dicas para blogs ( para aqueles que adoram me chamar de neurótica):



Seja neurótico. Ser neurótico é chique. Pessoas não neuróticas tendem a ser obesas, lentas e passivas. Já os neuróticos reagem com maior intesidade às adversidades. Mesmo que não sejam exatamente adversidades. Para mostrar-se um blogueiro intelectual neurótico fervoroso, deixe bem claro o quanto as pequenas coisas o irritam. O trânsito... os flanelinhas... os idosos que não pagam ônibus... os atendentes do Mac Donalds...