quinta-feira, 23 de julho de 2009

Blé!


As pessoas são burras. Meeeeeeeeeeuuuuuu Deus. Como diria aquela grande amiga que prefere não mais sair de casa : "só de caco cheio para aguentar essa zorra". E muito cheio. de saco cheio. Engraçado como só o tempo faz a gente entender certas piadas. Aliás, a amiga que não sai mais de casa é com certeza a pessoa mais sã que conheço (apesar do que o psicólogo dela diz). Tudo mundo é burro, gente! Eu sou, tu és, ele é! Então pode tirar o penacho da cabeça, que tá parecendo mais a Elke Maravilha!

Vou usar a palavra "adoro" ao invés de "tenho vontade de morrer de cólera e peste bubônica", porque me disseram que tudo isso é muito forte e atrai "coisa ruim".

É assim, as pessoas nascem, vão pra escola, vão pra faculdade e fazem pós graduação. Só que não necessariamente nesta ordem. Por exemplo, eu a-do-ro ver estudantes de medicina escreverem em blogs e fóruns por aí : "enteresse" e "encômodo". Ou seja, entraram na faculdade, mas esqueceram de ir pra escola na aula de português da tia Lisa. Então, imagina os fulanos que ficaram pra trás deles no vestibular.

A-do-ro ter que rir das piadinhas sem graça de executivos que não fecham as braguilhas das calças e que acham que quantias com menos de 4 dígitos só servem para comprar pinga. E a-do-ro ter que rir de piada ruim de conhecidos em geral só pra ser "simpática". Porque se você não dá risada de uma coisa tão absurda como uma piada ruim, você é grossa! Grossa e horrorosa! 

Adoro quando o vagão do metrô está todo vazio e vêm um infeliz, senta do meu lado e espera que eu comece algum tipo de conversa porque ele está sorrindo pra mim.

A-do-ro quando vem uma mãe louca de vontade de se livrar no recém-nascido dela, olha pra mim pensando que sou delicada e tenho jeito com crianças e diz: "É meu filho! Quer segurar?". Não, obrigada.

A-do-ro (sério!) ver gente perdida no condomínio. Acham que só porque moro lá há 20 anos eu sei os nomes das ruas. Eu sei o nome da minha rua e pra chegar lá é só ir reto, virar à direita, à esquerda, à direita, à esquerda e ir reto na quadra de tênis.

A-do-ro a ex-colega de pós graduação que acha que só porque a melhor coca se desenvolve assim nos "altiplanos", logo também é possível plantar a da melhor qualidade em aviões!!! A-do-ro meu bem! E adoro quando ela balança a cabeça igual a um de beagle quando ouve o professor de 1,50m (com ego de 2,00m) dizer : "Richelieu...". 

Adoro gente que acha que "xalxixa" da Sadia é comida. Adoro gente que acha que falar de meiadúzia de coisas "cult" é ser cult. E adoro gente que acha que ser cult é melhor.

Adoro gente que acha que é bonito ser burro(a)...

Mas além de tudo, a-do-ro gente que acha que sabe das coisas e pensa que arrogância salva e esconde a insignificância do seu ser e o seu cérebro de amendoim.

Ai, adoro mesmo!


terça-feira, 14 de julho de 2009

Foi assim... Eu acordei com uma baita gripe hoje. Não tinha nada de remédio para tal em casa, então tão pronto me arrumei para ir trabalhar passei em uma farmácia. Comprei uma caixa com 20 comprimidos de paracetamol com sei lá o quê e pedi para medir minha temperatura pois não tenho um termômetro em casa.

Feito isso, passei no caixa para pagar. Dei meu cartão de débito para a caixa... para variar estava sem dinheiro em espécie. Dois segundos depois, eu tinha esquecido completamente que tinha dado o meu cartão para ela e comecei a procurá-lo novamente na minha bolsa. É a minha memória de peixe de aquário funcionando a todo vapor...

" - Ih, moça... peraí... acho que esqueci meu cartão em casa!
  - Não, pode ficar tranquila... você já me deu. Como eu demorei para passar ele na máquina, você ficou com a repressão de que não tinha me dado..."

Va-lha-me-Deus. Deu até para sentir a minha febre aumentar.

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Elogio, pra que te quero?

Sabe como é que um fanático por futebol elogia a namorada?

"Querida, ontem você estava mais interessante que a final da Libertadores!"


In-crí-vel. E sim, eu ouvi isso.